julho 10, 2017

Risoni al Pomodoro [Risoni ao molho de tomate]

Um dos pratos da minha infância era o que a minha mãe chamava de "massa porca": a massa cozida diretamente no molho de tomate, sem muita frescura, usando apenas uma panela. Acabava resultando uma sopa com caldo cremoso devido ao amido da massa, geralmente uma massa curta.

Vocês já prepararam massa assim, direto no molho? José diz que nunca tinha visto... Enquanto na minha casa era super comum. 

(E nesta conversa sobre o que tua mãe fazia no dia-a-dia entramos num super papo sobre práticas alimentares das nossas casas e nos demos conta que, embora contemporâneos, José e eu tivemos diferenças interessantes na alimentação. Talvez porque ele seja de uma região de colonização alemã e isso tenha afetado, mesmo que sutilmente, a comida da família dele. Talvez porque a família dele seja muito grande e a mãe, coitada, tenha tido que se virar loucamente para dar conta de fazer comida para 5 filhos todos-os-dias. T-o-d-o-s!... O fato é que o que era muito comum na minha casa, não era na dele. A massa porca era uma delas. Ah, e nossos olhinhos brilharam quando concluímos que as batatas fritas de nossas mães eram as melhores do mundo. Cozinha afetiva é isso.)

Este pacote de massa estava fazia tempo na despensa e nada melhor que usá-lo naquele diz bem preguiçoso em que você acorda tarde, com fome e sem saco para cozinhar e muito menos para lavar a louça. E este dia para nós foi sábado passado. 

A massa parece um grão de arroz e daí vem nossa referência: para um brasileiro, que tem como base da alimentação o arroz, associar este corte de massa a ele é muito fácil. Porém, o nome em italiano é orzo, traduzindo cevada, porque parece um grão de cevada. Mas também tem como nome alternativo risoni, alguma variante de riso [arroz]. Ou seja, são duas nomenclaturas que você pode encontrar esta massa curtinha e própria para sopas e saladas. Acho que a Barilla chama de "risoni". 

Aliás, estou curiosa para fazer uma salada bem fresca com ela: ricota caseira, menta, azeite, alguns legumes... Taí outra comida que era super comum na minha infância: salada de massa. 
Ai, Dona Cleusa Maicá, formando esta glutona que habita em mim. 


Vamos ver como é fácil fazer isso aqui naquele dia bom de preguiça.





03 tomates maduros ou 1/2 lata de tomate pelado ou purê de tomate (passata)
01 dente de alho
Azeite
Manjericão fresco - Usei tomilho
01 xícara de massa risoni/orzo
Sal e pimenta a gosto
1l. de água quente 
1/4 xícara de parmesão ralado na hora.


O molho para este prato deve ser liso, então eu bati no liquidificador 1/2 lata de tomate pelado com o dente de alho e um pouco de água. Em uma panela coloquei o azeite e o tomilho. Deixei esquentar um pouco e adicionei o tomate batido. Baixei o fogo e deixei cozinhar por uns 10 minutos para reduzir um pouco e apurar o sabor do tomate. Sal e pimenta a gosto. 

Acrescente a água quente e deixe ferver. Ferveu, adicione a massa e mexa bem para não grudar no fundo da panela. Deixe no fogo baixo, mexendo algumas vezes. O tempo de cozimento indicado é de aproximadamente 9 minutos. Se você perceber que tem pouco líquido e está ainda muito crua a massa, acrescente mais água, pouco a pouco. O resultado não deve ser uma sopa líquida. Deve ser algo aproximado ao risoto mesmo: uma sopa que se come de garfo, como dizem os italianos. 
Quando estiver al dente, desligue o fogo, acrecente o queijo ralado e misture bem para dar a cremosidade final. Acerte sal, pimenta e sirva imediatamente.

Aqui como sempre, usei mais um queijinho e finalizei com um fio de azeite e pimenta... Porque sou dessas.




Agora enquanto escrevia este post lembre que existe um prato italiano chamado orzotto, que é um "risoto" de cevada, aliás, super saudável. Já vi, inclusive, uma receita preparando-o exatamente assim, diretamente no molho de tomates. E para não dar muita confusão de orzo, orzotto, vou chamar esta massa de risoni, pois para mim faz mais sentido. 




Você já segue o Cucina Artusiana e eu no Instagram? Clique AQUI.

4 comentários:

  1. Delícia, Carla! minha avó fazia um molho de carne moída, além do tomate e colocava a massa (acho que era espaguete) pra cozinhar junto... muito bom! Nunca consegui acertar.

    ResponderExcluir
  2. Oi Carla, está muito apetitosa tua massa e não, nunca vi cozinhá-la no próprio molho.Minha mãe fazia salada de massa, isso sim, ela adorava!Tenho risoni na despensa, acho que vou provar!
    Bjo e linda semana!

    ResponderExcluir
  3. Oi Carla! Tudo bem? Meu primeiro comentário aqui rsrsrs
    Sabe que tenho uma tia que viveu em Portugal muitos anos e fazia um macarrão neste estilo? Só que ela fazia uma carne cortada em pedaços (músculo, coxão duro, estas carnes que tem várias camadas de sabor e dão um belo ensopado), ao molho de tomate, e quando estava a carne bem cozida, ela cozinhava uma massa curta (geralmente ela fazia fusilli) dentro deste molho. Até hoje sinto saudade do macarrão português como ela chamava...

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita e comentário no Cucina Artusiana.