outubro 16, 2012

Pane Cafone para o Dia Mundial do Pão

Hoje, 16 de outubro, é dia do pão. E, desde 2006, blogueiros do mundo inteiro postam receitas de pães em seus blogs para comemorar essa data.

Ano passado acabei perdendo a data, mas neste não. Já estava contando os dias e de olho no NaCozinha, da Gina, que seria a minha "orientadora". E cá estou eu, trazendo a minha contribuição para o 7º World Bread Day promovido pela Zorra do blog kochtopf.twoday.net.




Quem acompanha o Cucina Artusiana sabe que tenho uma queda por pães. Já postei dezenas de receitas e, se eu pudesse, faria pão todos os dias. "O pão nosso de cada dia", frase ótima para este que está diariamente na nossa mesa. Branco, preto, com grãos, integral, francês, italiano, de milho, sem glúten... Uma lista infinita para que possamos usufruir deste alimento mais do que especial. A junção de água, farinha, fermento (ou não) e muita história. Me encanta! Já disse e repito: acho pão uma coisa fantástica.

Sempre que começam com o papinho de que "tem que cortar o pão branco" eu sou categórica: me tirem o refrigerante, o bacon, o chocolate... me tirem o ar que respiro! Mas não me tirem o pão branco! 

Ahhh, o pão branco! Aquele que recebe somente farinha, água e fermento e que vai ter as suas variações conforme o número de horas de fermentação, de sovas. É dele que eu gosto. Fico feliz em fazê-lo do começo ao fim. E de comê-lo do começo ao fim, também. Óbvio. E ando naquela fase em que se o pão já está velhinho, eu coloco sobre uma chapa de ferro, tosto ele, rego com um bom azeite de oliva, jogo uma pitadinha de sal e... nham! Pedaços tostados de felicidade.... Eu me contento com pouco, vocês percebem.




E para celebrar o dia do pão, trago um pão típico da Campânia, o pane cafone.

O pão cafone "original" tem fermentação de 5h e peso de 1kg e meio, mas pode assumir diversas formas. 
É conhecido em toda a região, mas tem lugar cativo na ilha de Ischia, em Pompéia e Torre del Grecco. Principalmente em Ischia na festa de Santa Ana no dia 26 de julho, onde o pão é altamente consumido e ainda na festa de S. Giovanni della Crocce, no dia 05 de março. 


Pane Cafone
Do livro Il libro del pane

Ingredientes

750 gramas de farinha de trigo 
100 gramas de sêmola de trigo
01 colher (sopa) de azeite de oliva
01 colher (chá) de malte
06 gramas de fermento biológico seco
01 colher (sopa) de vinagre de vinho branco
01 colher (chá) de sal

Peneire as duas farinhas em uma tigela. Faça um buraco no centro da farinha e coloque o malte, o vinagre e o fermento. Misture os ingredientes acrescentando água aos poucos, até obter uma massa bastante macia (não é mole!). Coloque em uma superfície polvilhada com farinha e sove por 10 minutos. Adicione o sal e sove por mais 5 minutos.

Faça uma bola de massa, besunte com o azeite de oliva e coloque em uma tigela. Cubra com um pano limpo e deixe descansar por 02 horas em um lugar morno.

Passadas as 2h, retome a massa e sove para retirar o ar. Divida a massa em dois e molde como desejar.  Passe farinha em todo o pão e coloque em uma forma plana forrada com papel manteiga. Cubra com o pano e leve novamente para descansar em lugar morno por 2h.

Pré aqueça o forno a 250ºC.

Faça cortes sobre a superfície dos pães e leve para assar por 20 minutos em forno a 250ºC. Baixe a temperatura para 220ºC e continue a assar por mais 20 minutos. 

Retire do forno e coloque sobre uma grade. 






10 comentários:

  1. Carla,
    É assim que eu gosto, de pão com história! O meu também vem agregado de tradições.
    Belo pão, amiga!
    Obrigada pela citação ao Naco Zinha. Valeu a pena ter feito a chamada e ter a sua rica contribuição.
    Bom Dia Mundial do Pão!
    Beijinho.

    ResponderExcluir
  2. que bom que voce esta participando. voce está nos brindando sua arte com este pão maravilhoso. adorei. bjs

    ResponderExcluir
  3. Olá Carla
    Lindo pãozinho, maravilhoso e perfeito!
    Beijinho

    ResponderExcluir
  4. Carlinha, ri demais com seu comentário lá na Renata...fiquei só imaginando nós todas ao redor de uma mesa, tagarelando, amassando e como boas glutonas...devorando os pães depois...muita risada, uma festa só!!!
    Lindo seu pão, vou reproduzir qualquer hora dessas, já está anotado!
    Beijão!!!

    ResponderExcluir
  5. Sensacional!!!

    Até o nome me soa nostálgico...Cafone...me fez lembrar Giffoni, nome do meu pai...
    Sua ideia de estarmos todos juntos em volta de fornadas de pão não me soou mal, nem tampouco impossível...seria a glória!

    Bello Pane!

    ResponderExcluir
  6. Carla, a culinária italiana tem uma infinidade de pães, estava curiosa para ver qual você traria para lembrar o dia de hoje :) Ficou lindo! Esse aspecto rústico é encantador, na minha opinião, deixa tudo com cara gostosa :)
    Só continuo o que vou dizer se você prometer não me bater: hoje em dia, prefiro pães integrais, pelo sabor e textura. Pronto, já comecei a correr. Rsrsrs. Beijo! Parabéns pelo belo representante do dia do pão!

    ResponderExcluir
  7. Lindo, lindo, lindo, D. Carla!

    Também adoro pão caseiro!!! E isso aprendi desde criança com meu pais. Eles inventavam de fazer pães e era uma farra na hora da modelagem... bons tempos!

    Parabéns, pois só de olhar posso dizer que o seu deve ter ficado divino!

    Beijocas!!!

    ResponderExcluir
  8. Pão, seu lindo, vem pra cá! rs...
    Pena que não fiquei sabendo desta data com antecedência, senão teria testado uma receita. Aliás, tenho várias receitas de seus pães na minha lista. Vou me programar para fazer alguma em breve :)
    Bjos
    Tania

    ResponderExcluir
  9. Ficou muito perfeito seu pão Carla!!
    bjs

    ResponderExcluir
  10. Perfect Italian bread! Love it!

    Thank you for baking for Word Bread Day. Hope you will join us next year again!

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita e comentário no Cucina Artusiana.