junho 14, 2012

O que acontece quando se tem um blog de gastronomia - Parte 4 [Panelas]

Vou confessar para vocês que panelas não são as coisas que mais me atraem em uma cozinha. Eu sou mais chegada em outros utensílios como raladores, espátulas de silicone, colheres de pau e mais tantas outras coisinhas que sempre vão parar em uma gaveta que raramente abro. Nunca dei muita bola para panelas, mas me dei conta que consegui montar um paneleiro depois que virei blogueira. 

Panelas de inox

Essas são as minhas panelas do dia-a-dia. São da linha Allegra da Tramontina, que eu classifico como panelas "classe média", pois essa empresa anda com uns surtos de panelas de luxo que tenho até medo. Gosto delas? Médio. Acho as panelas de inox super traiçoeiras. Primeiro porque se bobear podem queimar a comida num piscar de olhos. Não é aquele queimou-vou-ter-que-jogar-tudo-fora, mas muitas vezes vou conferir como está o cozimento de alguma coisa e a água que estava ali evaporou em fração de segundos. E aqui uma obsevação: acho que as tampas dessa linha Allegra não fecham bem a panela. Elas ficam, durante o cozimento, meio que bailando e muitas vezes, dependendo do vapor, fazendo uma dancinha com música e tudo. É o som da tampa vibrando contra a panela, o que resulta duas coisas: rápida evaporação do líquido do cozimento e uma lambança do fogão já que, como se não bastasse dançar e fazer barulho, elas respingam bastante. 



A segunda coisa que me desagrada é que os cabos esquentam muito. Eu, boca aberta do jeito que sou, estou sempre queimando os dedos, pois esqueço de usar os pegadores. E isso não é uma coisa boa, definitivamente.

Fora esses detalhes, que até então eu não tinha refletido o quanto são graves, elas funcionam bem. Acho que são práticas na hora de limpar e tem bons tamanhos para a cozinha diária. 

Panelas de ferro

Ah, os meus xodós na cozinha. Adoro panela de ferro e cozinharia só com elas. Talvez um dia, quando eu tiver uma cozinha grande com fogão à lenha e as use muito mais do que hoje. Tenho três: uma pequena que ganhei da minha avó no meu chá de casa nova quando fui morar sozinha; uma maior que uso raramente, pois é muito grande, e uma que foi um "surrupio" da casa de um ex namorado. Ele não iria usar mesmo... Mas sabem como é, Deus castiga: a panela enferrujou de uma maneira que estamos agora tentando resgatá-la das profundezas da oxidação. Eu acho que é um caso perdido, mas o marido acha que ainda tem jeito. Lemos que para desenferrujar devemos deixar imersa em Coca-Cola por 24h e depois deixar de 4h a 5h no forno ultra quente. Veremos.


Recentemente descobri que limpava minhas panelas de ferro de forma errada. Eu sempre lavava com água e detergente, secava no fogão e guardava. Nem um óleo eu passava. Pois então, no curso que fiz na Itália, o professor veio com o papinho de que não se lava NUNCA a panela de ferro. Me senti uma ignorante, uma assassina de panelas de ferro, mas confesso que é difícil usar e não lavar. É um exercício de desapego à esponja que não é fácil. O jeito é usar a espátula de silicone para tirar todo e qualquer resíduo da panela e passar papel absorvente para tirar o excesso de gordura. Desde que soube, usei a panela de ferro menor apenas uma vez, e fiz isso de não lavar. A panela está linda! Parece muito bem, obrigada.


Panela de barro

Tenho só uma média e que é usada exclusivamente para moquecas. Gosto bastante e acho um luxo só ela ficar longos minutos borbulhando depois de sair do fogo.



Panela de Pedra-Sabão

Essa eu ainda não usei. Tenho há tempos, mas ainda não tive nenhuma motivação para usá-la. Tenho inclusive que curar a minha. Aliás, o que se cozinha em panela de pedra-sabão? Eu, vergonhosamente, não sei.



Wok

Um presente dos meus sogros, depois de eu tanto elogiar a wok da minha sogra. Não era indireta, mas colou. É a panela mais fofa meiga e delicada que tenho. Uso muito para fazer umas comidinhas com pegada oriental. Coloco vários legumes que cozinhei no vapor para refogar com algumas gotas de óleo de gergelim tostado e lascas de gengibre. Geralmente meu almoço é feito nela.



A famosa Le Creuset

Essa dispensa apresentações. É fetiche de todos os blogueiros de gastronomia. Ainda não usei, mas que estou prestes a usar. Essa belezura eu ganhei do meu cunhado. A coitada deveria chegar em dezembro no meu aniversário do ano passado, mas chegou um mês depois. Ficou presa na alfândega em São Paulo, e quando chegou, em pleno almoço de domingo na casa dos meus sogros, eu pensava que era um presente para minha cunhada, pois era a aniversariante do dia. Aquele pacote lindo, lindo e eu pensando "Bah, que legal! Deve ser um presentaço!". De repente o pacote para na minha frente e eu, não entendendo nada, comecei a abrir. Quando vi que era uma caixa de Le Creuset eu não sabia se ria ou chorava... Mentira, eu chorei copiosamente como uma abobada que fica ultra emocionada com sua primeira panela linda de matar.



A receita de "inauguração" eu já escolhi. Acho que semana que vem estará por aqui. Aguardem.

9 comentários:

  1. pois é..eu tambem sinto o mesmo com as minhas de inox!!mas..gostei muito de todo topico..e parabens pela linda le creuset!!!é meu sonho de consumo tambem..bjo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Iliane!

      Eu nunca tinha pensado assim tão profundamente sobre as panelas de ixox, mas é bem isso mesmo. Elas são traiçoeiras!

      Beijos!
      Carla

      Excluir
  2. Oi, amada!Quem ensina como "curar" a panela de pedra sabão é a Sonia Hirsh em "Meditando na Cozinha"!!! É um livro delicious de ler!!! Se tu quiseres, eu te passo como! E realmente...eu também tenho estas "Allegra" e são tudo isso que disseste! Amei a parte que as tampas ficam dançando! É bem isso! Quero ver se coloco um fogão à lenha por estes dias lá na Miss Bebella, por causa do frio e aqui em casa...só por gostar mesmo! É bom, né? Então tá...amei este post...e tu escreves tão bem que parece que eu estou aí, conversando contigo! Um beijo...e um queijo!

    ResponderExcluir
  3. Carla, Panela de Pedra Sabão é boa para fazer comida mineira. Aqui em Minas, pertinho das Vertentes onde se fazem maravilhosas panelas de pedra sabão não se cozinha sem elas seja no fogão-de-lenha ou gás. O festival de Gastronomia de Tiradentes é famoso por esgotar os estoques de panelas de pedra e também por inflacionar os preços de panelas e formas para pizza e carnes. Dois livros de referência são: Fogão de lenha: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=3189007&sid=18983949214530532691357046
    e também Sabores e Cores de Minas Gerais: http://www.livrariacultura.com.br/scripts/resenha/resenha.asp?nitem=3254060&sid=18983949214530532691357046
    Sugiro também o livro Feijão, angu e couve de Eduardo Frieiro sobre a história e origem da cozinha mineira de um ponto de vista histórico que é muito interessante, uma viagem pelos séc XXVIII e XIX através da formação dos hábitos alimentares de Minas.
    Meu favorito da panela de pedra é o Feijão Tropeiro.
    PS: Sou leitora de gastronomia e gulosa mas cozinho bem pouco....

    ResponderExcluir
  4. Ai ai, nem me fala! Não faz muito que eu troquei o paneleiro lá de casa, a vontade de cozinhar só aumenta com umas panelinhas novas! A panela de ferro está na lista e (suspiros) meu sonho dourado das panelas, como você mesma disse que é de todos os blogueiros é a Le Creuset. Quem sabe um dia né? Beijocas!
    Dani - Nossa Cozinha

    ResponderExcluir
  5. Eu ganhei dois jogos de panela de casamento, são anti-aderente. Não "estrago" as panelas, mas quando estiverem na época de trocar não sentirei nem um pouco a falta delas.
    Ah, e le creuset também é meu sonho de consumo, mas sempre freio na hora de pôr a mão no bolso.
    Aliás, falando nas panelas da Tramontina, dias atrás estava escolhendo presente de casamento para uns amigos e tinha um jogo de panelas da marca na lista, e olha, Le Creuset nem parecia tão mais caro, comparativamente. Me assustei.
    beijos!

    o comentário ficou maior que pensava :o

    ResponderExcluir
  6. Simplesmente, os apaixonados por culinária amam esse blog!!!!!! Eu amo, isso sou convicto. Abraços e sucesso sempre.

    ResponderExcluir
  7. Oi carla eu também tenho essas mesmas panelas de inox e as tampas ficam pulando mesmo que chato só pra sujar o fogão né,confesso que custei a me acostumar e não queimar as mãos hoje já me acostumei a pegar sempre com luva ou com o pano de prato mesmo, como diz o ditado a dor ensina a gemer hehe,tmbém tenho uma de ferro que adoro a panela da vovó mais não sabia dessa de não lavar e sera que se fizer molho nela e não lavar não vai oxidar, hum parece bem estranho não lavar né quem sabe só testando pra ver.

    fabi

    bjo carla

    ResponderExcluir
  8. Que inveja dessa creuset, meu deus. :) Agora precisamos curar nossas panelas de pedra-sabão. E depois fazer um ensopado bem especial nela. :)

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita e comentário no Cucina Artusiana.