março 23, 2012

Sul da Itália - Parte I: Pompéia, Positano, Amalfi e Ravello

Depois de um mês no norte da Itália eu botei na cabeça que queria para o sul. Falei com um, falei com outro e quando dizia que queria ir para Nápoles vinha a surpresa e as orientações: nada de dar bobeira, nada de máquina fotográfica, nada de celular, nada de carteira à mostra. Enfim, a velha picuinha do norte contra o sul e vice-versa. Eu achei um exagero, convenhamos.

Mito ou não, fato é que depois de tantos olhos arregalados, decidi que não iria sozinha. Sabia que o Carlos do blog Idas y Vindas estava vindo para cá e sugeri que fizéssemos o sul juntos. Ele topou e nos encontramos em Roma, acertamos alguns detalhes e no outro dia pegamos um trem para Nápoles. O roteiro? Pompéia, Vesúvio e Costa Amalfitana. Objetivo principal? Capri e a Gruta Azul.

Passamos a noite em Nápoles e no outro dia fomos a Pompéia. Afinal, não só de rango vive esse blog. Tem história aqui também.




Depois de muitas ruínas, pó e informação histórica o jeito foi tomar uma granita de limão. Detalhe: olhem o tamanho dos limões! Mas o suco não é feito deles não. Esses grandões são fatiados e comidos como pão.. Foi o que me disse o vendedor da banca...


Na sexta-feira nos tocamos para Positano na Costa Amalfitana. E o que dizer?! Não tem como definir a beleza desse pedaço de mundo! É lindo, é azul, é branco, é solar, é colorido. A viagem pela costa é uma loucura. A estrada é uma serpente em movimento. Toda em S, curvas sinuosas, carros parados para o ônibus passar, freadas bruscas, buzinas. E nós, num "busão" lotado de turistas de língua inglesa. Fomos sentados no chão do ônibus. Eu, tagarelando com o motorista que me contava que fazia aquele etinerário há 17 anos, e o Carlos com uma cara de "que indiada". 


Positano é lindíssima e a culinária à base de frutos do mar. Nosso almoço-janta foi na praia, bonito assim:

Spaguetti con le vangole para o Carlos...
...e essa massa-que-não-lembro o nome com frutos do mar para mim
O vinho da casa vem nesse jarrinha fofa

À noite, quando estávamos voltando para o albergue, passamos na frente de um restaurante que precisava de auxiliar de cozinha. Imagina: Costa Amalfitana, cozinha e eu. Tudo a ver! Estava fechado, mas deixei um bilhetinho na porta dizendo do meu interesse. Não rolou. Não entraram em contato e quando fui lá de novo, ainda estava fechado. Eu já fiquei me imaginando 1 mês em Positano...ai, ai, ai...


No sábado pela manhã começou a nossa saga "Ilha de Capri". Fomos até Positano na esperança de que saíssem barcos para a ilha mas, como é baixa temporada, dali não sai barco algu. Ou seja, fomos para Positano por "nada" E ficamos sabendo disso no café da manhã, conversando com uma senhora nativa. Nós já estávamos prestes a descer os 53.456 degraus até o porto. Mudamos de planos e seguimos o que ela sugeriu: fomos para Amalfi.


Amalfi é bonitinha. Não me chamou muito atenção, mas como era sábado havia bastante movimento nas ruas. Porém, quando chegamos lá, descobrimos que dali também não partiam barcos para Capri na baixa temporada. Só em Sorrento. Decidimos dar uma relaxada, tomar um Spritz, curtir um pouco a cidade e se tocar para Ravello, a cidade vizinha. O dia já estava "perdido".







Ravello é pequena, mas muito mais bonita que Amalfi. Tem uma praça com cafés e uma descida até o mar que é maravilhosa. Tem que ter força nas perninhas, meus amigos, força nas perninhas! Nunca pensei que usaria minha bombinha para asma como usei nesses lugares. Mas a paisagem compensa qualquer dor nas pernas, qualquer falta de ar.


Almoçamos em Ravello. Eu estava só pelo peixe! Já que estava na costa, era isso que queria comer.





Demos mais umas voltas pela cidade e pegamos o ônibus para Amalfi. De Amalfi fui para o albergue em Positano, pois estava morta de cansada. Carlos, viajante experiente, ainda ficou por lá para conhecer a parte antiga da cidade. Ah, eu tenho meus limites... Ainda mais depois de spritz e taças de vinho. E Capri?! Só chegamos lá no domingo. Conto depois para vocês.

5 comentários:

  1. Que coisa linda! Me emocionei com as fotos, depois vou ler com calma! Beijo grande, Ju

    ResponderExcluir
  2. Carla, estou viajando pela Itália sem tirar os pés do Brasil. Esses seus dois últimos posts foram especialmente lindos :-) Dava tudo por um prato de massa com frutos do mar, uma rodela de limão para comer feito pão e um velhinho italiano quase me pedindo em casamento (tá, essa parte eu passo! Haha). Beijinho, mangiare e caminha, guria!

    ResponderExcluir
  3. Carla...que post lindo! Eu sempre quis conhecer Pompéia e Positano! Pareço aquele personagem do Zorra Total que diz: "Olho Gordo!!!" Ahahahahah! Mas é verdade! E deixa eu me fazer um pouquinho: eu TENHO estes limões aqui...tem épocas que eles pesam 750 gr. cada um! Uma loucura! Bem, amiga...tenho viajado contigo! Lindos lugares, belas fotos...não poderia ter um presente melhor para mim! Um grande beijo e...te cuida!

    ResponderExcluir
  4. Carla,
    Estive em Pompeia em 2008, uma experiência interessante. Já fiz um post sobre o lugar. A filha também fotografou aquela janelinha.
    E esses limões, o que é isso? Nunca tinha ouvido falar e a Ana Paula tem em casa, que máximo!!
    Tenho vontade de viajar cada vez que faz um post desses! Lindo demais!
    Bjs.

    ResponderExcluir
  5. Oi Carla,
    minha filha está indo em outubro para Positano, gostaria que sugerisse os locais de alimentação por lá. Obrigada.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita e comentário no Cucina Artusiana.