junho 01, 2011

Entre os livros e as panelas [Ou: entre o bolo e a pesquisa]

“Tra la pena e le pentole". Não foi à toa que escolhi essa descrição para o blog. Entre a pena e as panelas... Nesta semana estou mais para pena do que para panelas. Mal cheguei na cozinha para tomar água. Mesmo! Estou escrevendo um artigo e tenho passado horas na frente do computador buscando materiais que sustentem as minhas ideias, que embasem meus pensamentos sobre a figura de Pellegrino Artusi. Não é tão fácil quanto fazer um bolo, mas tem suas semelhanças.

A prática científica, guardada as devidas proporções, se assemelha à prática culinária sim, querem ver?!

Primeiro você escolhe o que quer fazer. Um bolo? Então, este é seu objeto de pesquisa. No meu caso, o meu bolo é o papel linguístico de Artusi na Itália.

Depois você vai preparar o seu mise en place, ou seja, vai separar todos os ingredientes necessários para preparar a sua receita. Farinha, ovos, manteiga, leite... Tudo de boa qualidade. Para a minha pesquisa não é diferente: livros, artigos, biografias, cartas, notas, imagens, tudo necessariamente vindo de fontes seguras, de fontes de boa qualidade também.

Você aquece o forno. Eu esquento a minha cachola montando esquemas de estudos.

Vamos ao preparo:

Separe as claras e gemas: textos teóricos para cá, textos artusianos para lá. Peneire a farinha: leitura de tudo, seleção de poucos. Bata as gemas com o açúcar: associe os fatores históricos com o discurso culinário de Artusi. Acrescente o leite: leve à pesquisa o viés sociológico. Misture bem: reflita muito, articule muito. Acrescente a farinha peneirada aos poucos: consulte as fontes selecionadas. Coloque a manteiga: cuidado para não escorregar e desviar a pesquisa para outras áreas. Acrescente a essência: dê o seu toque, sustente a sua tese. Coloque o fermento: estude muito para seu trabalho “crescer”. Misture delicadamente as claras em neve: escreva tudo com delicadeza, dê suavidade ao seu texto. Coloque em uma forma untada: escolha um bom orientador, parceiro e que, embora “forma”, ele deixe sua “massa” crescer, se expandir. Asse no forno médio por 50 minutos: Seja pesquisador por 2 anos, ou por 4, ou para a vida toda. Faça o teste do palito: submeta sua pesquisa à qualificação. Ainda cru? Volte ao forno rapidamente. Asse por mais uns 10 minutos. Desligue o forno. Trabalho não pronto? Volte aos livros imediatamente, se concentre e apresente para a banca.

É mais ou menos assim. Tal qual uma receita. Medo de abatumar? Sim. Medo de derramar no forno? Claro. Medo de ficar doce demais? Óbvio. Sem gosto, sem graça? Mais ainda.

Viram?! Tal qual é um bolo, é a pesquisa científica. Espero que a minha fique apetitosa. Me desejem sorte e competência!



7 comentários:

  1. Linda história!

    Tuas habilidades narrativas e o senso de humor são contagiantes! Apareça mais no Twitter, pois agregas valor e humor àquele espaço!

    Gosto bastante da formatação dos textos, as analogias e licenças poéticas são um deleite para nossos sentidos cansados de tanta informação jornalística.

    Teu estilo me fez lembrar de uma amigo daqui, que me agrada bastante, o JB - Caixa de Ressonância: http://www.caixaderessonancia.blogspot.com/

    Ah! Estou rindo até agora das brincadeiras e do vídeo sobre dobrar roupa! Parece Origami!
    Saí e vi só agora de noite!

    Boa sorte, a competência você tem de sobra!
    Addio, signora!

    Jorge Silva.

    ResponderExcluir
  2. Lindo post, Carla. Como tu escreves bem, menina! Amei a comparação! E realmente, pesquisa científica é assim mesmo!!! Olha, boa sorte...e competência tu já tens de sobra amiga! Muita calma nessa hora também!!!Um beijo.

    ResponderExcluir
  3. Realmente belo post Carla. Adicionei seu blog nos favoritos do Cansei de Miojo. :)

    ResponderExcluir
  4. Carla! Oi, Tudo bem? Espero sinceramente que tu estejas melhor! Olha, tenho uma surpresinha para ti!
    Quer ganhar um presente lindo? Passa lá no blog e dá uma olhadinha – NÃO É SORTEIO!
    Bjkas, Ana Paula

    ResponderExcluir
  5. Carla, cheguei em seu blog por causa do post do BErgamo, onde ambos fomos citados. Adorei os paralelos de seu texto, e tenho certeza de que seu bolo terá uma massa leve mas de substância, com recheio significativo, cobertura impecável e confeitos na medida certa. Forte abraço
    wair de paula
    cronicas gulosas

    ResponderExcluir
  6. Fico comovida com os comentários. Tão bom. Um afago em todos que colocaram mais uma pitada de fermento no meu bolo.

    ResponderExcluir

Obrigada pela sua visita e comentário no Cucina Artusiana.